16 de fev de 2007

LANTERNAS


Bonito esse sentimento
que sai por aí
acendendo lanternas
de papel de seda.

3 comentários:

uliana disse...

As suas poesias, todas elas, são sentimentos que saem por aí acendendo lanternas de papel de seda e iluminando o mundo escuro daqueles que não querem ver.
A sua obra é luz que se verte sobre os caminhos e pensamentos...
Admiro-te!
Uliana Castro

Marcos Vieira disse...

A poesia de Arlene Holanda é cimentada com o gosto de folha de limoeiro com a candura do que existe escondido profundo n'alma humana...Marcos Vieira

Reflexo d'Alma disse...

Que delicia de blog!
Vim conhecer volto com calma.
Bjins entre sonhos e delírios